Kiliano Lopes - Desenvolvimento Web

.Será que não estamos exagerando?

Se você não sabe sobre o que estou falando, veja o compiladão for dummies do Youpix.

O incidente da garota da Capricho foi um Delorean pra mim. Voltei direto pra 1990 e cascão 1 real, onde eu era um garoto que era sacaneado pelos amigos, por qualquer besteira que eu fizesse. Alguns bullys eram gratuitos, feitos só pra contribuir com a clássica adolescência traumática, que 95% dos meus amigos passou. Ninguém sai dessa fase sem meia dúzia de cicatrizes. Depois de alguns anos e muita bagagem, acabei vendo que alguns desses bullys forem merecidos e necessários pra formar meu caráter. Eu havia falado merda e fui punido severamente por isso. Quando isso acontecia, vinha uma pequena reflexão sobre as coisas que eu tinha falado, até entender que parte dessa zoação era mérito meu.

Mas havia sempre uma opção de fuga. Um ou dois dias em off, sem ir na escola, era o suficiente pra fazer as pessoas envolvidas esquecerem. É uma técnica bem funcional que terei o prazer de passar nesse mini tutorial:

  • Não falte logo no dia seguinte, todos vão perceber que você faltou por ser trollado e vão guardar munição pra quando você voltar. Vá na aula e encare as consequências de um dia de zoação, como o homem que você não é.
  • Leve numa boa, mas não perca a chance de sacanear alguém de volta. Mostre que mesmo quando você estiver alvejado de merd* oral, você ainda pode atirar de volta.
  • Falte um ou dois dias, dependendo do nível da cagada que você fez pra ser zoado. Quando você voltar, seja discreto, fale que ficou doente ou abduzido por aliens.
  • Bingo! Um ou outro vai te dar uma zoadinha básica, mas esse tempo que você passou em off vai servir pras pessoas entenderem que nem foi tão grande assim. Não houve espaço para a trollagem crescer, foi abafada como fogo num jarro fechado. :D

OBS: Caso você seja Giovanna Ferrarezi, esse tutorial não vai funcionar.

Eu vejo o facebook como um grande palco livre. O microfone está lá, a plateia pronta pra te julgar. Se você está disposto a subir lá e falar, prepare-se pra ser julgado. Você pode subir e gritar “Olha só como meu cachorrinho é fofo!”, “Veja que hamburguer bonito eu comi! Estava delicioso” ou até “Veja as fotos da festinha que não te convidei!”. Qualquer coisa pode ser dita no palanquinho de inutilidades do facebook, mas prepare-se pra ser julgado. Essa garota, Giovanna Ferrarezi, fez isso. Falou uma merda digna da adolescente mais mimada de todos os tempos (mesmo tendo 19 anos) e as pessoas julgaram. Ela segurou o microfone, falou um monte de besteira, com toda a segurança que o escudo de “blogueira da capricho” iria a proteger dos ovos e tomates. OWNED.

Qualquer coisa pode ser dita no palanquinho de inutilidades do facebook, mas prepare-se pra ser julgado

A garota foi massacrada, virou meme, sacaneada por tudo e todos. Grandes marcas como o Wallmart, Netflix, Ponto Frio (claro), mandando indiretas sobre fila, Capricho e carteirada.

blogueirahumildona.tumblr.com

blogueirahumildona.tumblr.com

Certo… mas, isso não foi um pouco longe?

Claro que a menina falou merd*, mas, chegou a um nível completamente desnecessário. Me lembrou o caso do Daniel do Outback, que xingou muito no facebook, por não foi atendido no Outback por ter chegado depois da loja ter fechado. Absurdo não?~~~~

Será que não estamos exagerando com tudo isso? Boa parte das pessoas que sacaneiam a menina, nunca ouviram falar dela antes do ocorrido. Já pensaram que ela não tem opção para onde fugir? Caso ela não entre na internet, não vai mudar o fato da trollagem ter ganhado vida própria, fora que ela também deve estar sendo sacaneada na vida real, fora da net.

“_ Ah Kiliano, mas foi merecido, ela é uma patricinha arrogante.”

Sim, foi merecido. Mas imaginem uma situação, em que você fale alguma besteira sobre refrigerante e seja trollado. Agora imagine que TODOS estão de trollando por isso, não só seus amigos, como vários meios de comunicação, gritando “Olha como o cara falou besteira sobre aquele refrigerante,  LOL”. Agora imagine que até as marcas de refrigerante, multi-nacionais, estão te sacaneando. Aquela garota não escreveu aquele post facebook com a intenção de gritar para todo o mundo, mas o fez. O microfone estava com o volume máximo e ela cometeu uma gafe. Vamos rir, apontar o dedo e esquecer que ela vai ficar marcada pra sempre (ou pelo menos por alguns meses) como a patricinha arrogante blogueira, e que todos os outros social medias e blogueiros que ela se relaciona, vão pensar nisso toda vez que ver ela online no facebook.

open-mic

Sou um entusiasta da trollagem, mas infelizmente algumas coisas fogem do controle.  Dúvida? Busque no google Bloqueira da Capricho e contem. Só tenho receio que isso iniba algumas pessoas de subirem no palanquinho de inutilidades do facebook, por medo de criticarem ou de falar merd*. Afinal, rede social serve pra isso mesmo.Se você não sabe sobre o que estou falando, veja o compiladão for dummies do Youpix.

*O incidente da garota da Capricho foi um Delorean pra mim. Voltei direto pra 1990 e cascão 1 real, onde eu era um garoto que era sacaneado pelos amigos, por qualquer besteira que eu fizesse. Alguns bullys eram gratuitos, feitos só pra contribuir com a clássica adolescência traumática, que 95% dos meus amigos passou. Ninguém sai dessa fase sem meia dúzia de cicatrizes. Depois de alguns anos e muita bagagem, acabei vendo que alguns desses bullys forem merecidos e necessários pra formar meu caráter. Eu havia falado merda e fui punido severamente por isso. Quando isso acontecia, vinha uma pequena reflexão sobre as coisas que eu tinha falado, até entender que parte dessa zoação era mérito meu.

Mas havia sempre uma opção de fuga. Um ou dois dias em off, sem ir na escola, era o suficiente pra fazer as pessoas envolvidas esquecerem. É uma técnica bem funcional que terei o prazer de passar nesse mini tutorial:

  • Não falte logo no dia seguinte, todos vão perceber que você faltou por ser trollado e vão guardar munição pra quando você voltar. Vá na aula e encare as consequências de um dia de zoação, como o homem que você não é.
  • Leve numa boa, mas não perca a chance de sacanear alguém de volta. Mostre que mesmo quando você estiver alvejado de merd* oral, você ainda pode atirar de volta.
  • Falte um ou dois dias, dependendo do nível da cagada que você fez pra ser zoado. Quando você voltar, seja discreto, fale que ficou doente ou abduzido por aliens.
  • Bingo! Um ou outro vai te dar uma zoadinha básica, mas esse tempo que você passou em off vai servir pras pessoas entenderem que nem foi tão grande assim. Não houve espaço para a trollagem crescer, foi abafada como fogo num jarro fechado. :D

OBS: Caso você seja Giovanna Ferrarezi, esse tutorial não vai funcionar.

Eu vejo o facebook como um grande palco livre. O microfone está lá, a plateia pronta pra te julgar. Se você está disposto a subir lá e falar, prepare-se pra ser julgado. Você pode subir e gritar “Olha só como meu cachorrinho é fofo!”, “Veja que hamburguer bonito eu comi! Estava delicioso” ou até “Veja as fotos da festinha que não te convidei!”. Qualquer coisa pode ser dita no palanquinho de inutilidades do facebook, mas prepare-se pra ser julgado. Essa garota, Giovanna Ferrarezi, fez isso. Falou uma merda digna da adolescente mais mimada de todos os tempos (mesmo tendo 19 anos) e as pessoas julgaram. Ela segurou o microfone, falou um monte de besteira, com toda a segurança que o escudo de “blogueira da capricho” iria a proteger dos ovos e tomates. OWNED.

Qualquer coisa pode ser dita no palanquinho de inutilidades do facebook, mas prepare-se pra ser julgado

A garota foi massacrada, virou meme, sacaneada por tudo e todos. Grandes marcas como o Wallmart, Netflix, Ponto Frio (claro), mandando indiretas sobre fila, Capricho e carteirada.

blogueirahumildona.tumblr.com

blogueirahumildona.tumblr.com

Certo… mas, isso não foi um pouco longe?

Claro que a menina falou merd*, mas, chegou a um nível completamente desnecessário. Me lembrou o caso do Daniel do Outback, que xingou muito no facebook, por não foi atendido no Outback por ter chegado depois da loja ter fechado. Absurdo não?~~~~

Será que não estamos exagerando com tudo isso? Boa parte das pessoas que sacaneiam a menina, nunca ouviram falar dela antes do ocorrido. Já pensaram que ela não tem opção para onde fugir? Caso ela não entre na internet, não vai mudar o fato da trollagem ter ganhado vida própria, fora que ela também deve estar sendo sacaneada na vida real, fora da net.

“_ Ah Kiliano, mas foi merecido, ela é uma patricinha arrogante.”

Sim, foi merecido. Mas imaginem uma situação, em que você fale alguma besteira sobre refrigerante e seja trollado. Agora imagine que TODOS estão de trollando por isso, não só seus amigos, como vários meios de comunicação, gritando “Olha como o cara falou besteira sobre aquele refrigerante,  LOL”. Agora imagine que até as marcas de refrigerante, multi-nacionais, estão te sacaneando. Aquela garota não escreveu aquele post facebook com a intenção de gritar para todo o mundo, mas o fez. O microfone estava com o volume máximo e ela cometeu uma gafe. Vamos rir, apontar o dedo e esquecer que ela vai ficar marcada pra sempre (ou pelo menos por alguns meses) como a patricinha arrogante blogueira, e que todos os outros social medias e blogueiros que ela se relaciona, vão pensar nisso toda vez que ver ela online no facebook.

open-mic

Sou um entusiasta da trollagem, mas infelizmente algumas coisas fogem do controle.  Dúvida? Busque no google Bloqueira da Capricho e contem. Só tenho receio que isso iniba algumas pessoas de subirem no palanquinho de inutilidades do facebook, por medo de criticarem ou de falar merd*. Afinal, rede social serve pra isso mesmo.

4 respostas para “Será que não estamos exagerando?”

  1. Tairon Brunelli disse:

    Ótimo texto..
    EU acho que a zoação/trollagem é muito mais útil se você conhece a pessoa (alvo) ao ponto dela e ninguém se importar sobre o que vocês estão falando um do outro, uma trollagem mais “tranquila”, pois assim todos (quase sempre) ficam rindo e SÓ.
    Quando chega a um ponto desses (a menina citada a cima)…não tem nem o que falar, deixa a menina ser feliz no mundinho dela, pra que você vai ficar falando mal dela só por falar, só pra fazer parte do “grupinho zoador” (bando de BR “HUEHUEHUE”)…
    Eu realmente estou pouco me fud*** por ela, não me importo com o que ela vai falar, não me importo com o que os outros vão falar, não me importo com quase nada que quase todo mundo vai falar.
    Gosto muito mais da trollagem que eu faço/vejo com meus amigos, e vejo muito no CcG, que é uma coisa pra rir e pra zoar…

    • Kiliano Lopes disse:

      Sou a favor de dar aquela zoada, mas algumas pessoas não conceberam a ideia de que ela foi zoada a nível profissional. Grandes empresas chegaram a tirar sarro. Não é a primeira nem a última vez que isso acontece, só me bateu um receio de que alguma pessoa fique refém desse tipo de punição. Ninguém acha que vai atingir o país inteiro com uma crítica à um barzinho ou boate.

  2. Hmmmm.. eu não acho que fomos “longe de mais”. Até porque ir longe demais, para mim, é chegar na cara da menina e xingar ela, bater, ferir a família, etc…

    Acho que inclusive ela irá se beneficiar do caso. As empresas zuaram porque esse é o trabalho dos xoxomidias que trabalham nelas. Afinal, todos zuaram a Luísa quando ela foi pro Canadá. E todos vão te zuar por falar merda nas nets…

    Tanta coisa que acontece na internet e fica viral por um ou dois dias e depois acaba. Acho que não precisamos nos preocupar.

    BTW: muito bacana seu texto e o formato do seu site. ;)

    • Kiliano Lopes disse:

      As coisas longe dela vão ser esquecidas rápido, mas as próximas, como colegas de trabalho, familiares e etc, vão continuar um tempo. Imagina se você vai numa balada e encontra ela na fila? Já imaginou que ela não vai poder entrar numa fila de balada de novo tão cedo?

Deixe uma resposta